quarta-feira, 20 de março de 2013

"Auranca e a vila da Branca" de Nélia Oliveira (1997)


Fazer um estudo sobre a Vila da Branca foi sempre um objectivo que esteve sempre presente ao longo da minha vida. Sendo filha de pai natural desta terra, neta de avós paternos e bisneta de bisavós maternos e paternos também daqui, naturalmente que guardo no meu espírito, com carinho e orgulho, a terra que me viu nascer e crescer.

Desde muito cedo interrogava-me acerca do passado histórico e lendário da minha terra natal, recolhendo as lendas e tradições que ouvia. Mais tarde, já durante o meu percurso académico, quando me era permitido realizar trabalhos de investigação a temática era sempre a vida da Branca (..)


Índice

Prefácio
Agradecimentos
Nota Prévia
Introdução
I – Enquadramento geográfico
II – Toponímia e Arqueologia

A toponímia na freguesia da Branca;
À procura da Talábriga;
A cidade Romana em Cristelo ?;
O Castelo de S. Julião

III – A raiz histórica
IV – Da chanceleria régia do século XIII ao Séc. XVI
V – Do Pinheiro da Bemposta para Albergaria-a-Velha
VI – Cemitérios
VII – Património Artístico e Arquitectónico

A. Do Património Religioso
B. Outros Templos
C. Do Património Rural

A Quinta do Outeiro
Quinta das Cavadas
Quinta das Relvas ou do Alferes
Casa da Barroca

VIII – A evolução populacional
IX –Aspectos sociais da vida Branquense
X – Branquenses que dignificaram a vila
XI – A instrução
XII – Na viragem do século XX
XIII - Actualidade


Sinopse:

Trabalho de investigação e identificação documental sobre a Vila da Branca, da qual a historiografia local é quase inexistente. A obra reflecte a singularidade dos factos, a primazia dos acontecimentos e também dos costumes e atitudes mentais do grupo social a apresenta a Freguesia da Branca nas várias perspectivas: Geográfica, Histórica, Social, Artística, Cultural e Económica.

Sem comentários: