sábado, 10 de dezembro de 2016

Manuel Valente dos Santos Conde (1882-1968), Padre


Natural de Salreu, nasceu a 28 de Outubro de 1882 e faleceu na freguesia da Branca a 15 de Outubro de 1968. Foi nomeado para o Serviço Sacerdotal da Igreja da Branca a 26 de Agosto de 1920 e aqui permaneceu durante quase meio século.

O Padre Conde promoveu a realização de várias obras na Paróquia, que ainda hoje são recordadas, como é o caso das obras de restauro da Igreja e Capelas da Freguesia e início da construção de nova Residência Paroquial, durante a década de 30, e Electrificação da Igreja Matriz, Iluminação da Torre e Construção do Salão Paroquial, durante as décadas de 40 e 50. E nos anos 60 adquiriram-se os painéis da Via Sacra e fez-se um novo púlpito.


Foi um dos grandes impulsionadores da Banda da Música Amigos da Branca (actualmente mais conhecida por ARMAB), sendo Vice-Presidente da Assembleia Geral durante cerca de duas décadas.

Foi um dos priores que mais marcou a freguesia da Branca e que está bem patente na memória dos branquenses, tendo sido mandado erigir um busto em sua homenagem.


Fonte: "Auranca e a Vila da Branca" de Nélia Maria Martins Almeia Oliveira (adaptado)

Imagens: Arquivo de Albergaria (Foto Gomes, 1935) / Que Cena / Blog Doutra Vida

Opinião menos abonatória dos Protestantes

Manuel Conde - por alcunha, o "Ferrugem" - nado e baptizado na vizinha freguesia de Salreu -, era o pároco da freguesia da Branca desde há muitos anos. Corria-lhe nas veias o sangue de "inquisidores" e "cruzados". Embora conhecido como homem duro, o povo seguia-o.

Sem se descuidar, pegou em Lutero e Henrique VIII, no comunismo e maçonaria e levou-os todos para o púlpito. Transformou-os em munições e dali os atirava "raivosamente" na manhã de cada Domingo. Os protestantes foram identificados com todos estes nomes e vistos como inimigos de Deus e da "Santa Madre Igreja Católica Romana".

Fonte: Irmãos.net (adaptado)

Sem comentários: