terça-feira, 31 de julho de 2012

Jaime Inácio Ferreira (1887-1966)


Jaime Inácio Ferreira, advogado, magistrado e proprietário, nasceu em 2 de Maio de 1887 em Albergaria -a-Nova. Casou em 1921 com D. Mariana Corrêa Telles de Araújo e Albuquerque, tendo residido na sua Quinta da Santa Cruz. Foi bacharel em Direito pela Universidade de Coimbra (1910), advogando desde então em Albergaria-a-Velha durante 13 anos.

Com a implantação da República foi o primeiro Presidente eleito para a Câmara, no novo regime, em 1911 e reeleito três anos depois, tendo no seu mandato (1911-1917) desenvolvido uma intensa acção contra a desanexação da freguesia de Fermelã na nossa comarca, travando mesmo violenta polémica com o Presidente da Câmara de Estarreja em defesa dos interesses dos povos dessa freguesia.

Bateu-se também pela integração de parte do concelho de Sever do Vouga na nossa comarca em conformidade com os desejos das Autoridades Municipais e da grande maioria das populações daquele concelho. Ainda durante o seu mandato se concluiu a Praça Ferreira Tavares, se construiu o Matadouro e se fez o primeiro projecto de uma avenida ligando o centro da Vila à Assilhó.

Em 1917 entrou para a carreira da Magistratura, tendo vindo a aposentar-se como Desembargador. Foi Delegado do Procurador da República em Fornos de Algodres, Niza (1918) e Vila Nova de Ourém (1921); Juíz de Fora em Castro Daire; sub-director da da Polícia de Investigação Criminal do Porto (1935-1940); Juíz auditor da Secção do Supremo Tribunal Militar Especial (1940-1947); Desembargador da Relação (desde 1948);  Chefe do Gabinete do Ministro do Interior; e Director da Polícia Judiciária do Porto. 

A nível local, foi presidente da Direcção do Clube de Albergaria; presidente da Assembleia Geral da Associação de Socorros Mútuos "A Operaria Albergariense" (1917); co-fundador da Misericórdia de Albergaria-a-Velha (1923).

Servindo-se das suas largas relações, conseguiu o alargamento da Rua de Campinho com vastos subsídios do Estado, transformando-a, de uma viela estreita e atravancada que era, desde a Igreja ao Largo da Santa Cruz, na rua que hoje é, na qual ainda se notam muitas das fachadas regularizadas da época.

Faleceu em 1 de Setembro de 1966 em Albergaria-a-Velha.

Fontes/Mais informações: "Gente Ilustre em Albergaria-a-Velha", António Homem de Albuquerque Pinho / "Albergaria-a-Velha 1910-da Monarquia à República" de D. Bismarck Ferreira e R. Vigário / Geneall

2 comentários:

nw disse...

Lembro-me de ter lido já há muitos anos (talvez no Arauto de Osseloa) uma sugestão para que fosse dado o nome do Dr. Jaime Ferreira à rua de campinho (Rua Eng. Duarte Pacheco - parte da Rua de Santa Cruz). O texto podia ter uma nota com a indicação de alguns dos seus familiares.

RC disse...

Era pai dos também ilustres albergarienses Jaime Ferreira (coronel do exército), Manuel Homem (advogado e deputado) e José Homem (médico).