quinta-feira, 28 de agosto de 2008

António Augusto Martins Pereira

António Augusto Martins Pereira, nascido em 1927, filho de Américo Martins Pereira e neto do Comendador Augusto Martins Pereira, representantes de uma das famílias que mais marcaram, de forma positiva, o século XX do concelho de Albergaria-a-Velha.

António Augusto Martins Pereira é uma lenda viva do desporto albergariense. Desde muito novo, ainda estudante, começou a praticar voleibol no Sport Clube do Porto, jogando também futebol nos júniores do Infesta, dado que estudava no Colégio Almeida Garret, no Porto.

Foi igualmente praticante de motonáutica e o automobilismo foi outra das suas grandes paixões da juventude. O célebre carro Alba, uma relíquia que faz parte do seu espólio pessoal, acelerou pelo país inteiro, ganhando várias provas de âmbito, como a 2ª Taça Cidade do Porto e vários rallys, o mais importante de todos o do Vinho do Porto-Régua. O lendário carro Alba, da sua autoria, era vencedor habitual da categoria Sport, conduzido pelas mãos hábeis e pela perícia de António Augusto Martins Pereira.

Até que chegou a altura do futebol a sério e no renascer do Sport Clube Alba, no começo dos anos 50, após uma interrupção das actividades do clube que o seu pai e avô haviam fundado a 1 de Janeiro de 1941. Logo ficou patente o empenhamento e a dedicação sem limites de António Augusto Martins Pereira. Primeiro como jogador, nas posições de extremo-direito e avançado-centro, e até esporadicamente como defesa direito, sob a orientação de outro dos “monstros sagrados” do futebol albergariense, o inesquecível Carlos Alves, o homem das luvas pretas.

Jogou até aos 32 anos e deixou o seu nome ligado a uma fase histórica e heróica do futebol do Sport Clube Alba. Passou a dirigente e foi presidente da direcção e da Assembleia Geral até 1993. Ao todo, são 52 dos 57 anos de vida do Sport Clube Alba que ligaram o exemplar cidadão ao clube do seu coração.

António Augusto Martins Pereira pode ser considerado o mais completo e dedicado desportista do nosso concelho, pois foi ainda presidente do Sport Clube Beira Mar, durante dois anos e quatro como vice-presidente. Foi igualmente membro das direcções do Sporting Clube de Aveiro, do Clube Naval de Aveiro e do Clube de Albergaria, do qual é (tal como do Sport Clube Alba) sócio número um.

É ainda provedor da Misericórdia de Albergaria-a-Velha, onde, juntamente com os restantes mesários, tem desenvolvido uma obra social notável.

Em Março de 1998 foi alvo de homenagem pela sua contribuição para o desporto, tendo, entre outras iniciativas, sido baptizado o actual Estádio Municipal com o seu nome.

Fonte: Adaptado de Jornal de Albergaria de 24-03-1998 (Organização da Homenagem)

Em entrevista recente ao Portal dos Clássicos, referiu que a construção do ALBA - o automóvel integralmente português - foi "uma diversão e distracção" não tendo "a ideia de criar uma fábrica de automóveis".

2 comentários:

pedroh disse...

http://ze-lu.blogspot.com/

será da familia? Em meados de 80 construiu o seu próprio carro.

Anónimo disse...

É o pai do Zé-Lu, e um tipo bestial!